HOME | PROMOÇÕES | ARTIGOS | UTILIDADE PÚBLICA | GALERIA DE FOTOS | CONTATO

Bebês e Cães
29/03/09 - por Dra. Regina Guedes Lopes (Médica Pediatra)

Muito tem se ouvido falar nos noticiários, revistas e jornais sobre animais aparentemente pacíficos que atacam crianças. Ouvimos também notícias de cães heróis que salvam vidas.

Extremos à parte, os cães apresentam em seu relacionamento com as pessoas, “propriedades terapêuticas”. Há casos em que os pets são “remédio”, pois junto com o acompanhamento médico eles ajudam no tratamento de pacientes que tiveram uma grande perda (depressão), apresentam desanimo, tristeza, solidão e várias outras sintomatologias. Eles estão sendo inclusive muito usados em projetos pilotos nos EUA na terapia com idosos em asilos, com excelentes resultados. Aqui no Brasil, existe um projeto semelhante em São Paulo chamado Projeto Cão Terapeuta desde 1998.

No caso de ataque a crianças, a notícia nos entristece sob todas as formas. No entanto, podemos proteger nossos bebês e nossos pets com atitudes simples, fáceis e responsáveis; afinal, nosso pet é um herói para todos que os amam. Quando chegamos tristes eles nos alegram, se comunicam conosco como se estivessem entendendo, não só nossas palavras, como também nossos sentimentos.

Não é à toa que o ramo literário e o cinema investem maciçamente nesse filão. Pela grande quantidade de títulos laçados e com recordes de venda e bilheteria, podemos acreditar que realmente eles estão cada vez mais participantes de nossas vidas. Só para citar alguns exemplos: “Marley e Eu”, “Não faz mal não alcançar a cama no primeiro salto”, “Anjos de Patas” e por aí vai.

Existem algumas dicas importantes para uma boa convivência. Aqui vão algumas:

Leve seu cãozinho ao veterinário regularmente, verifique sua carteira de vacinas, veja se ele está corretamente vermifugado, verifique se há presença de parasitas (carrapatos, pulgas e outros) e, principalmente, converse com seu veterinário. Ele é a pessoa mais indicada para cuidar de seu amiguinho.

Converse com um bom e responsável adestrador. Ele saberá dar outras informações específicas que certamente irão ajudá-lo.

Mostre o quarto do bebê para seu pet não ficar “curioso” e “impaciente”. A novidade sempre desperta a curiosidade.

Deixe claro até onde ele pode ir. Isso inclui: não subir no berço/cama, sofás, cadeiras; não o deixe brincar com as coisas do bebê (brinquedos, roupas, fraldas, etc...). É uma ótima oportunidade para comprar uma caminha nova e um brinquedo novo para o seu pet.

Limpe bem as patinhas quando voltar do passeio. Acostume-se a lavar as mãos e de preferência tomar um banho antes de pegar no bebê.

Nunca deixe seu pet e o bebê e/ou crianças sozinhos. Eles devem estar sempre sob supervisão de um adulto responsável.

Pets e bebês têm desenvolvimentos diferentes. Um pet de médio ou grande porte será maior do que seu bebê, tomando-se como base a mesma idade. Puxões de orelhas, de rabos e mordidas podem acontecer. Então e, por este motivo não podem ser deixados sozinhos, nem por um segundo, por mais doce que seja o animal. Afinal, o bebê é o estranho que está “roubando” a sua atenção.

Mantenha a rotina na freqüência e duração dos passeios, antes e depois do nascimento do seu bebe. Acostume-se a manter o máximo da rotina diária, com isso ele vai sentir que vocês são a família dele e que o bebê também faz parte da família, sem exclusões e/ou competições por atenção. Estes cuidados facilitarão a sua vida e a integração do bebê com o seu cãozinho.

Tendo em mente o bom senso, responsabilidade e muita atenção, o cãozinho só trará grandes alegrias.
Ele e seu bebê serão grandes amigos.

Dra. Regina Guedes Lopes
- Médica - com título de Especialista em Pediatria
e-mail: dra.regin@ibest.com.br
blog: www.draregina.blogspot.com


© 2009 Cantinho dos Bichos Produtos para Animais Ltda. ME ----------------------------------- Desenvolvimento - Digital em Foco www.digitalemfoco.com.br